10 PASSOS PARA MELHORAR A AUTOESTIMA

Por que melhorar a autoestima? A autoestima é a nossa valorização; é como percebemos nosso valor para o mundo e quão valiosos pensamos que somos para os outros.

Não acreditar em si mesmo, ter necessidade de aprovação, não se permitir errar, podem ser sintomas de baixa autoestima, uma condição que compromete muito a qualidade de vida.

A autoestima afeta nossa confiança, nossos relacionamentos, nosso trabalho – quase todas as partes de nossas vidas. Além disso, a falta de autoestima pode levar a depressão e a uma série de doenças. Melhorar a autoestima nos dá força e flexibilidade para assumir o controle de nossas vidas e crescer com nossos erros sem o medo da rejeição.

melhorar a autoestima

Autoestima e saúde

As questões de autoestima correlacionam-se diretamente com muitas facetas de saúde mental e ajuste de vida. Quanto mais persistentes os sintomas de depressão, ansiedade, problemas de relacionamento ou problemas de gestão de estresse, o cerne dos problemas quase sempre reside na sombra de baixa autoestima.

A baixa autoestima pode reduzir a qualidade da vida de uma pessoa de muitas maneiras, incluindo:

Problemas de relacionamento: algumas pessoas podem tolerar todo tipo de comportamento irracional dos parceiros por acreditar que devem ganhar atenção e que não podem ser amadas. Por outro lado, uma pessoa com baixa autoestima pode sentir-se irritada e intimidar outras pessoas. Atitudes aparentemente opostas e sem relação, podem ser derivadas de um mesmo sentimento: a baixa autoestima.

Medo de tentar: a pessoa pode duvidar de suas habilidades ou valor e evitar desafios.

Perfeccionismo: uma pessoa pode tornar-se um exagerado em suas atitudes para encobrir o que ela vê como sua inferioridade.

Medo de julgamento: podem evitar atividades que envolvam outras pessoas, como esportes ou eventos sociais, por medo e receio que serão negativamente julgadas. A pessoa se sente estressada em torno dos outros e constantemente procura por “sinais” de que as pessoas não gostam dela.

Baixa resiliência: uma pessoa com baixa autoestima tem dificuldade em lidar com um evento de vida desafiador, porque eles já acreditam que estão “sem esperança”.

Comportamentos auto prejudiciais: baixa autoestima coloca a pessoa em maior risco de auto dano, por exemplo, transtorno alimentar, abuso de drogas ou até suicídio.

 

Fonte: www.betterhealth.vic.gov.au/health/healthyliving/self-esteem

Compartilhar