COMO INVESTIR EM TESOURO DIRETO

Criado em 2002, o Programa do Tesouro Nacional surgiu com o objetivo de democratizar o acesso aos títulos públicos, ao permitir aplicações com apenas R$ 30,00 !!

Além de acessível e de apresentar opções de investimento que se encaixam aos seus objetivos financeiros, o Tesouro Direto oferece boa rentabilidade e liquidez diária, mesmo sendo considerada a aplicação de menor risco do mercado.

Aplicações no Tesouro Direto

O programa de compra e venda de títulos públicos do Tesouro Nacional é um dos investimentos que mais crescem no Brasil.

As aplicações no Tesouro Direto atingiram o maior valor da série histórica em janeiro de 2017. Um total de R$ 2,47 bilhões aplicados.

Segundo o Portal Brasil, o total de investidores ativos alcançou a marca de 423.431. Isso representou um crescimento de 70,9% nos últimos 12 meses.

Já o acréscimo mensal da base de investidores cadastrados foi de 72.591 para um total de 1.198.803, um aumento de 84% nos últimos 12 meses.

Os resgates totalizaram R$ 2,21 bilhões em janeiro, sendo R$ 1,49 bilhão relativo aos vencimentos de títulos e R$ 720 milhões às recompras.

Com tantos números de sucesso, é preciso conhecer mais esse investimento. Para quem ainda não conhece, veja o básico e como investir em Tesouro Direto:

Vantagens do Tesouro Direto

Segurança: É considerado o investimento mais seguro do mercado, pois o investidor compra títulos com garantia do Tesouro Nacional.

Rentabilidade: Pode variar de um título para outro, mas todos eles ganham da poupança e em alguns casos até de outras aplicações de renda fixa.

Liquidez: Podem ser comprados e vendidos diariamente sem que o investidor precise esperar até o prazo de vencimento.

Acessibilidade: No Tesouro Direto é possível começar a investir com apenas R$ 30,00. Investimentos como CDB, LCI e LCA exigem valores mínimos entre R$ 5.000 e R$ 30.000.

 

Compartilhar